Ás Técnicas do Yoga

                                   Ás Técnicas do Yoga          

* Concentração: Passei um tempo pra saber um “nome” para dar ao início das aulas. Desikachar, filho de Krishnamacharya, um grande mestre de Yoga, diz que essa fase inicial é essencial, sem a qual não podemos entrar em estado de Yoga. Via prática, trata-se de parar e se observar: observar o corpo, o modo como o sentimos, as sensações físicas, a consciência postural; observar também a respiração, seu fluxo natural, percebendo suas sensações e padrões no início da prática; e observar a mente, o fluxo dos pensamentos, as emoções que estes pensamentos despertam. Então fazemos a resolução interior de estar presente na aula, de ser um expectador do próprio despertar, sem julgar, só aceitar. É um exercício para nos ligar à essência do Yoga. Aqui introduzimos os mantras iniciais, que nos ligam à egrégora espiritual do Yoga.

* Pavana Muktásana: Técnica essencial para algumas modalidades (Hatha Yoga Leve, Hatha Yoga, Yoga para Gestantes, Yogaterapia), no qual visa a soltura articular e aquecimento físico para prática das posturas ou ásanas. Essa técnica, além de trazer uma soltura de todas as articulações, também limpa as toxinas ali retidas, sendo ideal para quem possui alguma inflamação nas articulações.
* Ásanas: ásanas, traduzidos comumente como posturas, são, na verdade, exercícios psicofísicos, já que seu foco não é somente físico, mas também e principalmente mental, na medida que impregna na mente um estado específico de consciência. Trabalha com o equilíbrio do sistema endócrino, já que as aulas são planejadas com este objetivo. Num nível psicológico, os ásanas trabalham com a couraça muscular, agindo de forma específica com com os conteúdos mentais reprimidos, ajudando a superá-los.

* Pranáyama: são técnicas respiratórias que visam a expansão da bioenergia, principalmente, mas que podem ser empregadas com outros objetivos específicos como aumento da capacidade pulmonar, para promover o relaxamento, para sair do estado de inércia (e depressão), entre oturos.

* Prathyahára: técnicas específicas para controle ou domínio dos sentidos, essencial para alcançar estados meditativos. São ensinados após a observação sistemática da própria mente. Presente em todas as turmas de Meditação.

* Dhárana: técnicas de concentração, ou fixação da atenção num ponto só. Muito tempo passamos nesta fase, antes de ter um completo domínio para chegarmos na meditação própriamente dita. É viável conciliar, como prática de concentração, a visualização criativa como exercício de fixação da atenção no foco interior. Também utilizamos técnicas de concentração com Yantras (combinação de figuras geométricas) para energização específica de algum chakra ou para alcançar um estado mental específico.

* Dhyána: é a meditação, um estado natural que surge após a prática correta de concentração. Entretanto, a meditação hoje em dia corresponde a um grande número de técnicas que surgiram após a experiência direta de mestres que pesquisavam e exploravam o mundo interior. Trata-se, portanto, de um grande mergulho dentro de si mesmo, em busca das suas verdades e do reconhecimento de que somos exatamente aquilo que buscamos.

* Mantras: palavras sagradas de poder, passados há milhares de anos de mestre para discípulo, capazes de, por si só, causarem um estado mental específico, ampliação da consciência e ligação com estados superiores de Ser e de Agir. Frequentemente utilizados para iniciar e terminar as práticas, podem também ser usados como foco de meditação.

* Yoganidrá: conhecido como o “sono do Yoga”, refuta a idéia de que, se precisamos antes caminhar em direação ao Yoga, agora tomamos a atitude de entrega para que o Yoga chegue até nós. São apresentadas diversas técnicas de relaxamento físico e mental, conciliando com visualizações criativas para absorção de prána ou mesmo técnicas de higiene mental. Perfeito para um bom controle de stress, essencial para quem quer levar uma vida mais significativa.

* Mudrás: mudrás podem aludir a duas coisas diferentes. Um são os gestos feitos com as mãos, que conferem um determinado estado mental e energéticos, que podem ser combinados com os ásanas ou mesmo utilizados como forma de meditação (neste caso, a observação da mente diante destes gestos). Mas mudrás também podem ser uma combinação de ásana, contrações musculares (bandhas) e fixação oculares (drshtis), como no caso de Vipatira Karani, a figura que você vê ao lado.

* Kriyas: são as purificações do Yoga, essencial para uma correta energização do corpo físico e sutil. Compõe-se de diversas técnicas como agni sara (exercício feito com contração abdominal), nadi shodhana (um tipo de respiração polarizada), bhastrika(respiratório), kapalabhati (outro respiratório), jala neti (limpeza das narinas), trataka (limpeza para os olhos), entre outros.
Namaste

Nenhum comentário:

Marcadores